sábado, 27 de agosto de 2011

Os nostálgicos também amam

Alguém aí lembra do Bizarro, que passava na Warner Channel na madrugada de sexta para sábado (ou de sábado para domingo, não lembro ao certo)?

Imaginem um Cine Trash sem o Mojica. Era muito do caralho, dois ou três filmes fantásticos exibidos um atrás do outro. Para se ter uma idéia, mais ou menos na mesma época o Telecine 5 era um canal muito bom. Se não me engano passaram numa noite It Lives Again e Island of the Alive (não lembro se passaram o primeiro); o Island vinha praticamente no embalo de Lives Again.

O esquema era sempre esse de double bill, e quase sempre só com coisas muito boas, de filmes da Toho à Hammer - The Devil Rides Out, Frankenstein Must Be Destroyed e acho que também Frankenstein and the Monster from Hell e Witchfinder General (na época raridades).

Provavelmente a última boa atração de cinema na televisão, pelo menos dentre as que conheci de lá pra cá. Tem o cara da Futura que programa Truffaut, Resnais, Bresson, Don Weis, mas ao invés de pesos-pesados como Giovanna Antonelli, Leandra Leal e Marjorie Estiano comentando o filme nos intervalos do programa, o Bizarro contava com as ilustres presenças de Godzilla e Mothra - o que o tornava incomparavelmente mais simpático.

ASSIM SE FAZ A REVOLUÇÃO NO CINEMA 70

Por sinal, falei do Jacopetti sem saber que ele morreu no último dia 17 - sabe como é, pessoal tirando atraso com o Ruiz, principalmente os que passaram as últimas duas décadas sem mencioná-lo.

Bem que podia pintar uns textos do Moullet, que adora ambos.

Intuição = sensibilidade + método

Il selvaggio e l’architetto: le due anime del cinema di Dario Argento

sexta-feira, 26 de agosto de 2011



Film, baby, powerful tool for love or laughter, fantastic weapon to create violence or ward it off, is in your hands. The only possible chance you've got in our round thing is not to bitch about injustice or break windows, but to make a concerted effort to have a loud voice. The loudest voice known to man is on thousand-foot reels. Campus chants about war are not going to help two peasants in a rice paddy on Tuesday. However, something might be said on emulsion that will stop a soldier from firing into nine children somewhere, sometime. Now; next year; five years from now. Try emulsion instead of rocks for race relations and ecology. That, and love and laughter, has to be what it's all about. Then you'll survive. Maybe we'll all survive. Maybe.

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Uma pena a utilização feita do Comolli teórico, bastante repreensível quando escreve sobre documentário e "o risco do real" (pessoalmente, acredito que o trabalho do Michel Delahaye nesse campo é muito mais estimulante e fértil), e a falta de atenção e interesse pelo Comolli crítico, que nos anos 60, como exegeta de Hawks, Ray, Olmi, Godard, Bergman, Sirk e Mankiewicz, dava um banho no Comolli de hoje.

No que toca a utilização dos seus escritos recentes, os métodos e as teorias - profundamente questionáveis - da intelectualidade acadêmica brasileira em peso, que busca legitimar em massa a produção documental brasileira a partir dos mais abstratos pressupostos comollianos, devo dizer que prefiro o oportunismo, a corrupção e a desonestidade vivas dos filmes de Jacopetti & Prosperi.

E talvez seja a partir da obra desses senhores que um debate interessante sobre censura deva ser travado.

pensadinha >> música consensual brasileira

terça-feira, 23 de agosto de 2011

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Gente mais séria







Enrico Ghezzi, o sujeito responsável por fazer com que o canal do Berlusconi exiba o que não se exibe na televisão francesa - Straub: aqui e aqui para acesso à programação.

Esta especialmente para os leitores fiéis da Inrockuptibles:



Em vista do novo coqueluche de nostalgia, estas especialmente para as viúvas, herdeiros, alunos, o que sejam da Embrafilme:



Que bonitinho, o Spielberg "recuperado" pela """"""""cinefilia"""""""" a partir da comoção em cima do J.J. Abrams.

Reacionários, conservadores, revisionistas infames e de mau gosto.

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Aqui.

Redenção, do Roberto Pires, no MKO.

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Final de Viagem à Itália -> final de O Ano do Dragão

quarta-feira, 3 de agosto de 2011



Tem gente que não entende porra nenhuma de nada mesmo.

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Jean-Marie Straub, sempre provocador, foi até aos Cahiers du Cinema e, como bom marxista, propôs-lhes comprar a capa para o último filme dele. Responderam-lhe indignados que os Cahiers não estavam à venda. «Pois não», respondeu ele, «já se venderam». A capa dos Cahiers desse mês foi a célebre fotografia do Larry Flint com o homem crucificado nas cuequinhas da senhora.



Via Buster.

Arquivo do blog